Mudanças no Financiamento Imobiliário

credito-imobiliario-620x413
Com a recente redução dos juros no Brasil, com a meta SELIC em 6,5% a.a. mantida na última reunião do COPOM, em 01/08, esperava-se que haveria um estímulo natural para a compra e venda de imóveis, por dois principais motivos: - Os financiamentos ficam mais baratos; - O investimento em imóveis para alugar fica mais atrativo, pois essa renda depende mais do valor do imóvel do que dos juros da economia. O que se observa, contudo, é que esse setor não está crescendo tanto quanto se esperava...
Leia mais ›

Quanto financiar na compra de um imóvel?

Com as recentes quedas nas taxas de juros, mais pessoas passaram a buscar financiamento para compra/troca de imóvel. Assim, volta a surgir uma dúvida muito importante: quanto financiar na hora da compra? Antes de responder a essa pergunta, vale a pena relembrar, de forma resumida, o que foi tratado em outras postagens. Existem, principalmente, quatro tipos de financiamento imobiliário: - Minha Casa, Minha Vida/FGTS: Trata-se de crédito subsidiado, que utiliza recursos do FGTS para fazer o ...
Leia mais ›

Como a SELIC afeta a economia?

como-calcular-juros
Um dos principais motivos de uma política econômica é o de gerar crescimento sem perda de valor de compra da moeda (inflação e desvalorização cambial). Atualmente, o principal instrumento de controle da inflação no Brasil é a taxa de juros (SELIC), que foi abordada em uma das primeiras postagens do blog. Acontece que a alta taxa de juros traz um problema: inibe o crescimento da economia. Sabe porque? Esse é o nosso tema hoje. A forma mais segura de termos crescimento econômico sustentáv...
Leia mais ›