Por quê as taxas de juros são diferentes entre os tipos de crédito?

Com certeza você já notou que as taxas de juros variam, não só entre os bancos, mas também entre  as linhas de crédito do mesmo banco. Sabe porque isso acontece?
 Existe um componente chamado spread, que é a diferença entre o valor que o banco paga pelas aplicações dos clientes e o que ele cobra pelos empréstimos. Esse spread é composto por diversas variáveis. Entre elas, podemos destacar:
– Risco da Operação: Está relacionada ao tipo de operação de crédito. Se tem garantia ou não, se o prazo de pagamento é curto ou longo, se tem destinação específica, entre outros;
– Risco do Cliente: O perfil do cliente tem influencia na taxa de juros que será cobrada pela operação, pois, se o banco possui menos chances de receber, exige um “prêmio” maior por esse risco;
– Conjuntura Econômica: Conforme o andamento e as perspectivas da economia (expansão, estagnação, retração), o risco, de uma forma geral, pode ser maior ou menor. Existem, também, situações em que há incentivo a determinadas linhas de crédito, como, por exemplo, financiamento de veículos.
 Outro fator que tem influência na taxa de juros de uma operação é a origem dos recursos, chamada funding. Há origens mais baratas (Por exemplo: Poupança e FGTS, utilizadas em financiamentos imobiliários), que fazem com que a operação “custe” menos para o banco e, consequentemente, menos para o cliente.
DICA DO CONSULTOR
Programe-se e informe-se sobre as linhas de crédito disponíveis para verificar qual a mais adequada à sua necessidade. Evite pagar juros altos quando há opções mais baratas.
Dúvidas? Vamos conversar.
Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *