Vamos falar sobre cheques…

chequemNa segunda-feira (27/11), foi publicada a Circular 3.859 do Banco Central, cujo principal efeito é o de reduzir o prazo de compensação dos cheques de valor menor do que R$ 300,00 para 1 dia útil, o mesmo prazo dos cheques de valor mais alto. Isso é possível em razão dos mecanismos de conferência digital de assinatura, vigentes há bastante tempo. Agora não haverá mais diferença no tratamento entre cheques de valor superior ou inferior a R$ 300,00.

Os bancos tem até 180 dias (6 meses) para adotarem essa medida, ou seja, haverá um período de transição.

Quero aproveitar essa novidade para opinar sobre o uso de cheques. A postagem  “Tire suas dúvidas sobre cheques” é a mais comentada do blog, tanto no site atual quanto no antigo, evidenciando que as pessoas não só tem muitas dúvidas quanto ao seu funcionamento como também ainda usam muito esse instrumento.

Penso que, quando surgiu, o cheque trouxe um grande avanço na realização das transações, pois passou a ser possível movimentar grandes quantias de dinheiro sem precisar andar com ele fisicamente. Mas agora vivemos em tempos muito diferentes. Atualmente, temos os cartões de crédito e débito que permitem a movimentação eletrônica de valores, além de termos a possibilidade de acessar nossa conta corrente em qualquer lugar via celular.

Particularmente, sou um defensor da extinção ou redução drástica do uso do cheque, pois ele traz problemas tanto para o emitente quanto para o recebedor, conforme exemplos abaixo:

  1. Emitente: Incerteza quanto à data do depósito; possibilidade de que o cheque seja “repassado” a terceiros, perdendo o controle sobre o cheque; é um grande causador de registro nos órgãos de proteção ao crédito; risco de fraudes, como adulterações, entre outros.
  2. Recebedor: Incerteza quanto à existência de saldo na conta do emitente; dificuldade de cobrança após a segunda apresentação do cheque; possibilidade de perda do documento físico; prescrição; risco de fraudes ou má-fé do emitente ao “sustá-lo”, por exemplo.

Para quem tem um negócio, há diversas opções de máquinas de cartão, permitindo receber por suas vendas/serviços com mais segurança e a um baixo custo, muitas vezes menor do que a inadimplência do cheque ou o seu gerenciamento (relembre a postagem da semana passada sobre tempo e dinheiro).

Enfim, penso que a utilização do cheque deve estar restrita a apenas algumas transações, o que permitirá termos mais facilidades e menos risco na realização de nossas transações.

E você? Qual sua opinião? Ainda utiliza cheques?

Até a próxima!

2 thoughts on “Vamos falar sobre cheques…

  1. Lucilia disse:

    Boa noite

    Preciso de orientação, recebi um cheque como primeira parcela de uma dívida (empréstimo das minhas econômias a um suposto amigo), depositei na minha conta e bateu sem fundos! Existe prazo para reapresentar o cheque?
    Qual?
    Obrigada

    1. Otávio Freitas disse:

      Boa tarde, Lucilia!

      O cheque pode ser depositado até 210 dias (Aprox. 7 meses) após a data que está escrita no cheque.

      Um abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *