Uma criptomoeda para ser levada a sério

Libra-Association-Founding-PartnersNo último dia 18/06, o Facebook anunciou que está criando uma nova criptomoeda (moeda virtual independente) para concorrer com a BitCoin e outras tantas disponíveis no mercado. O nome será Libra (Não confundir com a moeda da Inglaterra, que, lá, é chamada de Pound e traduzida para o português como Libra). O lançamento ocorrerá no primeiro semestre de 2020 e representará um grande marco para a digitalização da economia global.

Mas o que diferencia essa nova criptomoeda das outras?

Há um tempo, falamos sobre o futuro da BitCoin e identificamos algumas barreiras para que ela fosse realmente utilizada como moeda e não como especulação, como ocorre hoje. Essas barreiras, de forma resumida, são:

  1. Confiança baseada apenas nela mesma, sem nenhuma outra instituição pública ou privada por trás;
  2. Alta volatilidade, em razão da formação de seu preço apenas pela negociação no mercado;
  3. Baixa aceitação, uma vez que são raros os locais onde você pode comprar usando BitCoin (e outras do tipo).

Com a introdução da Libra, o cenário é outro. Isso ocorre porque ela não é apenas uma moeda criada pelo Facebook (que sozinho já possui 2,3 bilhões de usuários, 30% da população mundial), mas também por uma Associação composta, entre outros, por Facebook, Visa, Mastercard, Uber, PayPal e Spotify. Dessa forma, já há uma indicação de que será possível utilização da nova moeda em diversas empresas populares nos dias de hoje, evitando os problemas listados acima. A intenção da Libra é a de que seja, realmente, uma moeda para realização de transações financeiras.

Outro ponto importante a ser destacado é o fato de que, segundo o comunicado realizado, as informações coletadas pela utilização da nova moeda não serão utilizadas para fins comerciais, diferente do que ocorre, por exemplo, com os dados no Facebook. Essa é uma informação importante e um dos motivos pelos quais foi criada uma nova organização para tratar da moeda, apartada da rede social.

Diferente das criptomoedas populares hoje em dia, também haverá um lastro para a Libra, que será depositado na Suíça e será composto por valores e títulos em diversas moedas do mundo (Dólar, Euro, etc).

Trata-se de uma ideia que vem sendo desenvolvida desde o ano passado e que teve participação de David Marcus, ex-presidente da PayPal. Segundo o comunicado feito, um dos principais usos da nova moeda será a realização de transferências internacionais sem a necessidade de utilização de bancos, barateando e agilizando o processo.

Obviamente, nem tudo são flores e essa iniciativa ainda vai enfrentar muita resistência, principalmente por parte dos agentes reguladores (governos). Isso ocorre porque as transações efetuadas via criptomoeda não são passíveis de acompanhamento por parte dos órgãos de fiscalização e tributação. Dessa forma, abre-se margem para sonegação de impostos e utilização dessa ferramenta para lavagem de dinheiro.

Há um longo caminho pela frente e respostas a serem dadas antes da implantação da Libra, mas o fato é de que ela tem potencial para representar uma grande mudança na forma como o dinheiro é utilizado.

Vamos aguardar e acompanhar!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *