Quanto devo pagar de juros em um empréstimo?

juros-multaComo já vimos antes, as taxas de juros variam entre os diferentes tipos de operações de crédito e levam em consideração diversos fatores como finalidade, prazo e risco de inadimplência. Também vimos que ele pode ser um aliado ou inimigo, dependendo da forma como o utilizamos.

Hoje vamos ver como avaliar qual taxa de juros “vale a pena” pagar por um empréstimo. Esse raciocínio vale tanto para as pessoas físicas, quanto para as empresas.

Na teoria financeira, existe um conceito chamado TMA (Taxa Mínima de Atratividade), utilizada na avaliação de projetos e que busca avaliar a remuneração mínima que esse projeto deve ter para ser viável.

O que devemos fazer, então, é avaliar se o uso que vamos ter para o dinheiro gera uma TMA maior ou menor do que a taxa cobrada pelo banco.

São diversos fatores a serem considerados. Os principais são:

1) Quanto de lucro vou ter com o uso desse valor? Nessa situação, vamos chamar de lucro o benefício líquido gerado pela utilização do valor tomado. Esse benefício pode ser o lucro pela abertura ou ampliação de um negócio, pode ser uma economia causada por um desconto pela compra à vista de algo, ou ainda livrar-se de uma despesa como, por exemplo, aluguel. Aplicando o conceito citado anteriormente, podemos tratar os custos (juros, tarifas, etc) do empréstimo como a TMA. Dessa forma, os ganhos recebidos pela utilização do crédito devem superar a taxa a ser paga. Um exemplo é o da compra de um equipamento para abrir um negócio. Se esse empreendimento gerar um lucro de 30% ao ano e a taxa do empréstimo for de 25% ao ano, vale a pena. Essa é a melhor forma de utilização do crédito: a geração de ganhos que superam o custo do dinheiro.

2) Quanto custa esperar para guardar esse dinheiro? Tempo é dinheiro. E se um dinheiro demora para vir, pode causar um prejuízo, ou evitar um ganho. Por exemplo, uma oportunidade de negócios pode não estar disponível novamente daqui a 6 meses. Podemos aplicar, nessa situação, o custo de oportunidade: Quanto você perde por não fazer determinada coisa? O custo do empréstimo deve ser menor do que esse custo de oportunidade.

3) É (mesmo) uma emergência? Há situações nas quais, não temos escolha: precisamos de um dinheiro extra. Nesse caso, é importante tentar se informar sobre as opções disponíveis para pagar a menor taxa possível.

DICA DO CONSULTOR

Pense e avalie antes de tomar decisões financeiras. Será que vale a pena fazer um empréstimo para gastos que não vão nos trazer benefícios que paguem esses juros? As piores decisões, inclusive financeiras, são as tomadas por impulso.

Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *