O que é melhor? Fundo Prefixado ou CDB Prefixado?

PrefixadoNo atual cenário econômico, onde os juros estão altos, existem formas de garantir uma remuneração interessante, mesmo com uma eventual queda de juros. Os investimentos que buscam garantir uma determinada remuneração, mesmo com alteração na taxa de juros da economia, são chamados prefixados.

Existe, contudo, mais de uma forma de se fazer esse tipo de investimento. Qual será a melhor? Esse será o tema da postagem de hoje.

Primeiramente, vamos conhecer essas formas de aplicação:

– CDB Prefixado: Como tratamos anteriormente, os CDBs, são títulos emitidos pelos bancos. A diferença, nesse caso, é que, além do prazo, a taxa de juros já é definida no momento da aplicação, permanecendo a mesma, independente da variação do DI (indicador mais comum para esse tipo de aplicação). Se você aplicou a uma taxa de 12% a.a., mesmo que o DI esteja em 6% a.a., sua rentabilidade de 12% a.a. está garantida. É importante que, caso, você resgate o seu CDB antes do prazo acordado, poderá não receber nenhum rendimento, de acordo com as normas de cada banco.

– Títulos Prefixados: Além dos CDBs, existem outros tipos de títulos que podem ser prefixados. Os mais famosos são os do Tesouro Direto, com e sem pagamento semestral de juros (Antigas LTN e NTN-F, respectivamente). Assim como os CDBs, possuem taxas e prazos prefixados. A diferença é que, para resgatá-los antes do prazo de vencimento, você deve vendê-los ao preço de mercado do dia. Caso os juros atuais ou a expectativa de juros futuros sejam maiores do que o acordado para o seu título atual, você pode, inclusive, receber menos do que pagou pelo título. Esperando a data de vencimento, você, com certeza, receberá os juros acordados.

– Fundos Prefixados: No caso dos fundos de investimento, eles compram títulos prefixados, tais como CDBs e títulos do Tesouro Direto (Tesouro Prefixado). Mesmo que não tenha as expressões “Pré” e/ou “Prefixado”, um fundo pode ter esse tipo de papel, mesmo que de forma não predominante. Em razão da marcação a mercado, o funcionamento desses fundos é diferente dos CDBs e Tesouro Prefixado. Mesmo que, no vencimento dos papéis que compõem o fundo, o rendimento acordado será recebido, o valor desses títulos varia diariamente dentro do fundo, podendo, inclusive, apresentar rentabilidade negativa. Isso acontece quando a expectativa de juros é maior do que o acordado nos títulos.

Dessa forma, caso você queira investir em diversos títulos prefixados e ter a liberdade para resgatá-los a qualquer momento, os fundos são mais adequados.

Porém, se você quiser fazer uma aplicação e ficar com ela até o final, principalmente em uma expectativa de juros decrescentes, o CDB prefixado ou o Tesouro Prefixado são mais interessantes.

DICA DO CONSULTOR

Vale lembrar que, em razão dos acontecimentos recentes do dia 16/12 (perda do grau de investimento e aumento dos juros nos EUA), a expectativa é de que haja aumento na taxa de juros, fazendo-se necessário avaliar a aplicação em títulos ou fundos prefixados. É muito importante, sempre, conhecer o seu perfil de investidor para que a aplicação seja a mais adequada a ele.

Um abraço e Feliz Natal!

Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *