O noticiário e seus investimentos

trabalhador-com-chavena-de-cafe-lendo-as-noticias_1149-191Quando investimos temos a intenção de preservar nosso dinheiro e receber uma remuneração razoável por ele. Já quando especulamos, nossa intenção é a de aumentar significativamente nosso patrimônio. Esse é o resumo do que vimos na  semana passada.

Em ambas situações, o sucesso de nossas aplicações financeiras depende das condições negociadas no momento do aporte do nosso dinheiro e do cenário atual. Assim, é sempre bom estarmos atentos aos acontecimentos e ao noticiário.

A proposta hoje é passar uma ideia sobre como interpretar o impacto das notícias no rendimento de nossas aplicações. Muitas vezes o impacto não é imediato, mas a informação pode ajudar na tomada de decisões futuras.

Os preços dos ativos dependem das expectativas e da demanda por eles. Assim, devemos interpretar as informações dos noticiários para sabermos se eles vão se valorizar (render mais) ou desvalorizar (render menos ou até perder dinheiro).

Para fins didáticos, vamos separar os investimentos entre Pré Fixados, Pós Fixados, Indexados e Bolsa de Valores (Renda Variável), todos já abordados por aqui e elaborei um quadro com alguns exemplos:

Pré Fixado, Indexado e Bolsa Pós Fixado
Aumento da Selic Desvaloriza Valoriza
Redução da Selic Valoriza Desvaloriza
Aumento nos Juros EUA Desvaloriza Sem Mudança
Redução nos Juros EUA Valoriza Sem Mudança
Expectativa de Crescimento PIB Valoriza Sem Mudança
Expectativa de Redução PIB Desvaloriza Sem Mudança
Maior Inflação Desvaloriza Sem Mudança
Menor Inflação Valoriza Sem Mudança
Maior Atividade Econômica Valoriza Sem Mudança
Menor Atividade Econômica Desvaloriza Sem Mudança
Mais Investimento Estrangeiro Valoriza Sem Mudança
Menos Investimento Estrangeiro Desvaloriza Sem Mudança

Esses eventos ocorrem porque expectativas de melhora em nossa economia melhoram a percepção de risco de investir no Brasil e, portanto, um menor DI Futuro, o que faz com que os títulos pré fixados e indexados se valorizem. Com relação à Bolsa de Valores, esse ganho é gerado pela maior procura pelo investimentos nas ações de empresas brasileiras, aumentando seu preço.

Os investimentos pós fixados são menos afetados, uma vez que eles vão considerar diretamente a taxa contratada, geralmente SELIC/CDI, tendo assim, menos risco do que as demais opções.

Nem todas as aplicações (principalmente na Renda Variável) serão afetados da mesma forma e na mesma intensidade, mas é importante estarmos sempre atento aos acontecimentos à nossa volta e o potencial de impacto no nosso bolso.

Até a próxima!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *