Novas condições para o Crédito Imobiliário

Financ ImóvelNessa semana foi divulgada uma nova modalidade de taxa para as operações de crédito imobiliário, vinculada à inflação.

Há um tempo foram anunciados estudos referentes à possibilidade de oferta de operações de financiamento a imóveis com uma taxa diferente, composta por uma parte fixa e outra vinculada à variação positiva do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo – indicador oficial de inflação utilizado pelo governo). A intenção é a de que as novas operações, nessa modalidade, pudessem ser securitizadas, ou seja, vendidas no mercado por meio de CRIs.

Como trata-se de operações com prazo muito longo de pagamento (até 35 anos), o modelo atual, com variação apenas pela TR (que atualmente está zerada) trazia pouca possibilidade de repasse das operações ao mercado. Isso acontece porque não havia proteção contra perda de valor pela inflação, importante quando pensamos no longo prazo. Essa securitização permitirá aos bancos o aumento na oferta dos financiamentos imobiliários, pois elas deixam de utilizar os recursos (capital) do banco e passam a utilizar o dinheiro dos investidores.

A partir dessa aprovação, é importante salientar que a nova modalidade soma-se às já existentes, que seguirão sendo ofertadas.

A expectativa dada ao mercado é a de que a nova modalidade seja mais barata para os tomadores do crédito, pois permitirá uma taxa fixa menor. É essencial, contudo, ter muito cuidado se você pretende fazer um financiamento utilizando as novas regras. Hoje a inflação está controlada e abaixo da meta fixada pelo Conselho Monetário Nacional, porém é impossível saber como será seu comportamento ao longo dos anos.

É importante salientar que o IPCA é aplicado mensalmente sobre as parcelas e somente quando positivo. Assim, você pode ter variações bruscas na sua parcela de um mês para o outro, mesmo que a inflação acumulada no ano não seja tão alta. Outra consequência é a de que a taxa efetiva de inflação aplicada ao seu contrato seja superior ao IPCA, uma vez que os valores negativos para esse indicador não serão aplicados. Quando isso ocorrer, será cobrada apenas a parcela de juros contratada.

DICA DO CONSULTOR 

Caso você opte pela nova modalidade, é importante formar uma  reserva de emergência que pode ajudar quando houver maiores variações no IPCA. Para isso, faça uma simulação de parcelas com a opção anterior (TR) e compare com a prestação paga no mês. Sempre que a parcela do seu financiamento (com IPCA) for menor, aplique essa diferença para utilizar quando a inflação for mais alta.

Outro ponto importante é referente à simulação da nova modalidade. Fique atento(a), pois o IPCA não é calculado na prestação e pode lhe gerar uma desagradável “surpresa” na hora  de pagar as parcelas.

Em resumo, há uma nova modalidade de financiamento imobiliário disponível e que será uma opção para quem se interessar. Vale a pena avaliar bem e decidir de forma consciente.

Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *