Investimentos para cada perfil – Moderado

ModeradoNa semana passada, vimos os investimentos recomendados para quem possui perfil conservador. Hoje vamos tratar do perfil de investidor Moderado.

Esse perfil contempla um “meio termo” entre os conservadores e os arrojados. Geralmente, o investidor moderado apresenta as seguintes características:

  1. Bom conhecimento do mercado financeiro;
  2. Uma parte do valor a ser investido tem prazo mais longo para utilização;
  3. Busca rendimento superior aos investimentos tradicionais, mas com “pé no chão”;
  4. Possui maior volume de recursos para aplicação, permitindo-se correr alguns riscos controlados.

Assim, além dos investimentos apresentados na postagem anterior, sobre os conservadores, os investidores moderados também aplicarão seus recursos (ou parte deles), nas opções abaixo, (com os respectivos links para as descrições detalhadas), entre outras, buscando boa rentabilidade, mesmo abrindo mão de uma parte da liquidez e correndo alguns riscos:

a) CDBs, LCAs e LCIs, todos pós-fixados de bancos médios e pequenos, contando, principalmente com  a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) para valores até R$ 250.000,00 por pessoa em cada banco;

b) Debêntures, que são títulos de dívida emitidos por empresas privadas e, portanto, sem a garantia do FGC. Assim, o risco é maior, mas ainda trata-se investimento em Renda Fixa, que promete uma determinada remuneração na data de vencimento do título;

c) Certificados de Recebíveis Imobiliários e do Agronegócio, cujo risco está associado às operações de Crédito Imobiliário e Rural do banco emitente;

d) Fundos de Investimento:

  • Multimercado, que aplicam os valores em diversos tipos de ativos, inclusive no exterior;
  • Pré fixados, cujos títulos que os compõem tem uma taxa já definida de rentabilidade, estando sujeito a mudanças nas taxas de juros da economia;
  • Indexados, que investem em títulos cujo rendimento é vinculado à inflação, acrescidos ou não de uma taxa pré fixada. Esses títulos possuem grande volatilidade, apesar do baixo risco de crédito.

e) Títulos públicos federais pré fixados (Tesouro Prefixado, com ou sem juros semestrais) ou indexados (Tesouro IPCA+, com ou sem juros semestrais);

f) Fundo imobiliário;

g) ETFs, que são cotas de fundos de investimento que buscam simular um determinado indicador, como o Ibovespa;

h) Ações, por meio da estratégia buy and hold, que consiste, basicamente, em comprar ações de empresas consolidadas, buscando ganhos com os dividendos e outras remunerações, reaplicando esses ganhos nas ações das mesmas empresas. Assim, busca um ganho de patrimônio com menor volatilidade, mas correndo riscos relacionados à saúde financeira da empresa em questão.

DICA DO CONSULTOR

Essas são as principais opções sugeridas para o investidor moderado. Cada pessoa terá seus projetos e necessidades pessoais e, portanto, um investimento mais adequado. O perfil de investidor não é estático e o momento de vida de cada um também pode fazer esse perfil variar.

Antes de investir, consulte as informações referentes a rentabilidade, liquidez e garantias da opção escolhida.

Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *