O que são derivativos?

Quando os juros caem, como ocorreu na última reunião do COPOM, que reduziu a meta SELIC para 6,75%, alguns investidores tendem a buscar novas alternativas, com maior risco, para obter maior rentabilidade. Além das ações e debêntures, já abordados, existem também os derivativos, ou seja, instrumentos financeiros cuja rentabilidade deriva (por isso o nome) de outros. Sua principal função é a de proteção (também chamada de hedge) contra as oscilações dos ativos em questão. Muitos, porém, utiliza...
Leia mais ›

Não se afobe…

Nas duas últimas semanas, vimos a bolsa de valores mostrar grande valorização das ações brasileiras e o dólar despencar. Em razão disso, muitas pessoas correram para comprar dólares, mesmo sem precisar, e ações por acharem que tem a possibilidade de ganhar dinheiro com um aumento ainda maior. Em alguns dias, no entanto, esse movimento se inverteu, causando perdas para alguns investidores afobados. Já falamos antes sobre os problemas do pensamento de curto prazo e hoje vamos aprofundar um pouc...
Leia mais ›

Mudanças no Fundo Garantidor de Crédito

No dia 21/12/2017, o Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou uma importante alteração no Fundo Garantidor de Crédito (FGC), fundo que garante diversas aplicações, como CDB, LCA, LCI e Poupança em caso de "quebra" de determinado banco. Para as aplicações efetuadas até esse dia (21/12), segue a cobertura de R$ 250.000,00 por CPF e por banco, sem limite, que privilegiava a pulverização dos investimentos e beneficiava bancos pequenos e médios. Isso porque o risco dessas instituições era relevad...
Leia mais ›

Vale a pena correr mais riscos com os juros em queda?

Na última reunião do COPOM, os juros básicos da nossa economia (SELIC meta) foram reduzidos a 7,5% a.a., podendo chegar 7% a.a. ainda em 2017, o menor patamar da história. Com isso, os investimentos de Renda Fixa mais tradicionais, vinculados à SELIC ou ao DI passam a ter menor rendimento. Nesse cenário, parece mais vantajoso migrar para investimentos mais arriscados. Mas será que isso faz sentido para todos? Primeiramente, é importante resgatar o conceito de juros reais, que são aqueles q...
Leia mais ›

BitCoins são o futuro?

Há um tempo falamos sobre o que são BitCoins. De lá pra cá, essa moeda ficou mais popular no Brasil e no mundo, porém dividindo ainda opiniões. A questão é: será que ela, no futuro, substituirá as moedas físicas? Para poder responder essa pergunta, é importante entendermos o conceito de Blockchain. Antes da criação das BitCoins, outras moedas virtuais (criptomoeda) foram idealizadas, porém não "deram certo". O motivo pelo qual a BitCoin é tão popular é a tecnologia por trás dela, chamad...
Leia mais ›

LIG – Letra Imobiliária Garantida

No dia 29 de Agosto, o Banco Central publicou a Resolução BACEN 4.598, que criou uma nova modalidade de investimento: a Letra Imobiliária Garantida - LIG. Trata-se de um título de renda fixa emitido por bancos múltiplos, comerciais e de investimento, sociedades de crédito financiamento e investimento, caixas econômicas, entre outros, cuja garantia é dada pelo emissor e por uma carteira de ativos escolhida pelo mesmo. Esse é o grande diferencial dessa aplicação, que une as garantias da LCI (em...
Leia mais ›

Grandes mudanças com a nova SELIC

No último dia 06/09, o Banco Central divulgou a nova meta SELIC, de 8,25% a.a.. Além de representar a continuidade de uma sequência de reduções iniciada no final do ano passado e a possibilidade de novas reduções ainda esse ano, essa decisão possui um impacto muito importante na nossa economia: Reduz a rentabilidade da poupança. Isso acontece em razão da Lei 12.703 que alterou a rentabilidade dos depósitos efetuados após 02 de maio de 2012, mantendo a remuneração de 0,5% a.m.+ TR (6,17% a.a. ...
Leia mais ›

Imposto de Renda x Rentabilidade dos Investimentos

Quando vamos avaliar duas ou mais opções de investimento, temos como hábito dar muito peso à rentabilidade divulgada. Isso pode induzir a máscara escolhas, conforme já abordado nesse blog: 1) Rentabilidade passada não garante rentabilidade futura; 2) Existem outros dois fatores muito importantes na avaliação dos investimentos: Risco (a chance de perder dinheiro) e Liquidez (facilidade de resgate). Há um outro fator, no entanto, que deve ser levado em consideração: a tributação, não soment...
Leia mais ›

O que é CDS?

Não confunda com CDB (Certificado de Depósito Bancário), que já abordamos anteriormente. Nesse caso, trata-se de uma sigla em inglês que significa "Credit Default Swap", que na prática é um seguro feito no exterior para garantir uma dívida. Caso o devedor não pague, a seguradora reembolsará o credor pelo valor emprestado. Mas porque isso é importante para nós? O Brasil possui operações de crédito tomadas no exterior a partir de títulos emitidos (como os do Tesouro Direto). Ocorre que, q...
Leia mais ›

Importância de respeitar seu Perfil de Investidor

Há pouco tempo tratamos dos investimentos mais adequados a cada perfil de investidor (Conservador, Moderado e Arrojado). Mas porque isso é tão importante? A palavra que mais se aplica a isso é "expectativa". Basicamente, ao buscarmos investimentos que não são aderentes ao nosso perfil, vamos frustrar essas expectativas. Vale lembrar os três aspectos a serem considerados em um investimento: Liquidez (facilidade de resgate), Rentabilidade (ganho financeiro) e Segurança (de que vai receber o ...
Leia mais ›