Franquia ou marca própria?

plano-negócio-mulherPrimeiramente, analisamos se vale a pena empreender e, depois, decidimos entre a utilização do CPF ou abertura de CNPJ para exercermos nossa atividade. Por fim, vamos a uma decisão igualmente importante: abrir uma franquia ou criar uma marca própria?

Para facilitar, vou falar um pouco sobre cada opção:

Franquia:

Nessa modalidade, você compra os direitos de utilização de uma marca já estabelecida, tornando mais fácil a divulgação do seu negócio. Você também vai receber as regras do negócio,  envolvendo os processos de produção compra e venda, dependendo da atividade.

A abertura de uma franquia vai permitir acesso a técnicas que já são utilizadas e que apresentam resultados. Por outro lado, você vai limitar sua liberdade de ação ao gerenciamento da sua unidade,  que seguirá as orientações da “matriz”.

É importante ressaltar que a franqueadora não vai lhe fornecer o local, você deve providenciar a compra ou aluguel do espaço físico.

As principais vantagens são:

1) Não há necessidade de desenvolvimento de marca, o que facilita a captação de clientes;

2) Para quem tem pouca experiência na área, vai receber diversas informações já prontas, facilitando o gerenciamento do negócio.

Já as principais desvantagens são:

1) Você estará associado à marca franqueadora, sendo afetado por possíveis más escolhas ou eventuais problemas de imagem. Isso pode também limitar suas decisões;

2) Há necessidade de um desembolso inicial (e muitas vezes mensal) a título de royalties pela utilização da marca e estrutura.

O marketing multinível (não as pirâmides financeiras, que são ilegais) podem ser consideradas franquias em determinado sentido.

Dica do Consultor: Consulte a ABF – Associação Brasileira de Franchising, que possui diversas dicas e uma lista de franquias disponíveis, com várias informações,  como valores de investimento e o que cada uma oferece.

Marca Própria:

Nesse caso, você cria seu negócio “do zero”, sem outra empresa por trás.  Você terá total liberdade em todas as decisões da empresa, criará seu nome e logo, escolherá fornecedores e processos de trabalho.

Aqui é importante conhecer, ou contratar os serviços de pessoas que conheçam, as diversas áreas que compõem o negócio (marketing,  finanças, direito, contabilidade, etc). Pode ser uma excelente oportunidade, também, para estudar esses assuntos.

As principais vantagens são:

1) Autonomia total. Você decide, junto com seus sócios,  se tiver, a melhor forma de produzir, vender e/ou prestar serviços. Permite que você faça correções de rumo a qualquer momento, de forma mais ágil e possa personalizar o atendimento ao seu cliente;

2) O investimento inicial depende apenas da necessidade (inclusive legal) de seu negócio, e vai ser feito no ritmo que você definir, sem a necessidade de pagar royalties a outra empresa.

Quanto às desvantagens, as principais são:

1) Baixa visibilidade inicial, pois, como sua marca é nova, é importante que as pessoas a conheçam. É necessário investir na divulgação de seu negócio e ter paciência (e capital de giro) nos primeiros meses;

2) Não há manuais definidos. Assim como você deverá desenvolver os métodos de trabalho para que o negócio aconteça. Estude, faça testes e simulações e converse com especialistas.

É importante definir com clareza o público que você quer atender. Conheça seu cliente em potencial e entenda as necessidades dele.

DICA DO CONSULTOR

Geralmente, a abertura de Franquia está mais associada a empreendedores mais conservadores em relação aos que decidem por marca própria, mas isso é só um indicativo.

Avalie qual opção se encaixa nas suas expectativas e monte seu plano de negócios. Se precisar de ajuda, entre em contato.

Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *