E os juros caíram…

queda-taxa-de-juros-investimento-juros-economia-1476908627751_v2_615x300Após 16 meses, o Copom anunciou, no dia 31/07, a redução de 0,5 p.p. na Selic Meta, que era de 6,5% a.a. e passou a ser de 6% a.a.

É importante lembrar alguns dos fatores que permitiram esse movimento:

1) A economia não está crescendo como deveria. O relatório Focus divulgado pelo Banco Central em 29/07 estima um crescimento de apenas  0,82% nesse ano, o que é menor do que os dados de 2017 e 2018, que já foram baixos. Uma menor taxa básica de juros gera estímulos ao consumo e ao investimento das empresas;

2) A inflação está controlada, principalmente em razão da baixa atividade econômica. O mesmo relatório Focus estima uma inflação, medida pelo IPCA, de 3,80% para esse ano e de 3,90% pra 2020, abaixo das metas estabelecidas pelo Conselho Monetário Nacional;

3) A redução de 0,25 p.p. dos juros americanos permitiu que a redução de juroa no Brasil não causasse maior impacto no chamado “diferencial de juros”, que é a diferença entre o juro americano (considerado um investimento  seguro pelos investidores estrangeiros) e o brasileiro (considerado arriscado).

Vale lembrar que no início desse ano, as projeções indicavam um aumento na Selic ao longo desse ano. Em razão da falta de crescimento da nossa economia, contudo, são esperados novos cortes na nossa taxa de juros.

Mas e o seu bolso, como fica?

Para aqueles que tomam crédito, a notícia é positiva, pois os principais bancos brasileiros já anunciaram redução nos juros das suas  operações de crédito. Assim, será possível obter crédito mais barato ou renegociar dívidas em condições melhores.

Os investidores, por outro lado sentirão impacto, principalmente nas aplicações de renda fixa pós fixadas, pois o rendimento delas está diretamente ligado a esse movimento de juros. Assim, para aqueles(as) que buscam um aumento maior de seu capital investido, será necessário avaliar opções de maior risco, como o investimento em ações. Esse movimento já vem ocorrendo desde o ano passado e faz com que o Ibovespa esteja batendo recordes de rentabilidade, mesmo com saída de investidores estrangeiros.

Espera-se que esse cenário de juros baixos tenha vindo para ficar. Cabe a nós buscarmos adaptar nossas finanças a ele.

Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *