Cheque Especial

Cheque EspecialRecentemente os juros do Cheque Especial voltaram aos noticiários, em razão de uma intenção da FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos) em discutir mecanismos para redução desses encargos.

Mesmo que a taxa de juros dos cartões de crédito sejam consideradas as mais altas, com o cheque especial em segundo lugar, mudanças recentes na regulamentação determinam que as dívidas de cartão sejam parceladas após 30 dias, diminuindo os custos ao longo do tempo. Dessa forma, as atenções estão voltadas à redução dos juros do cheque especial, que será tema dessa postagem.

Primeiramente, vamos entender porque ele é tão caro: Trata-se de uma linha de crédito pré-aprovada e sobre a qual o banco não possui informações sobre quando será utilizado e, principalmente, quando e como será pago. Dessa forma, representa um risco de crédito para o banco e gera a cobrança de juros MUITO altos. Atualmente a taxa mensal de juros do cheque especial é superior à SELIC anual!

É muito importante atentar para o correto uso do Cheque Especial: A melhor forma é não utilizá-lo, mas, nem sempre isso é possível. Assim, essa modalidade de crédito deve ser acessada somente em caso de imprevistos, não de forma corriqueira. Tão logo possível, a sugestão é de que você cubra o cheque especial ou contrate uma linha de crédito mais barata, como um crédito pessoal. Algumas vezes, os juros mensais pagos no cheque especial são suficientes para pagar a prestação do crédito pessoal.

Além do problema evidente quanto aos altos juros, a utilização excessiva do cheque especial gera três outras consequências:

1) Efeito bola de neve: Uma vez que você está com a conta corrente “negativa”, quando você receber um crédito, por exemplo, de salário, o valor utilizado no cheque especial será “descontado” desse crédito, fazendo com que você tenha menos dinheiro para utilizar no mês e tendo grandes chances de voltar a utilizar essa linha de crédito. Vamos a um exemplo?

Se você está utilizando R$ 200,00 do cheque especial e recebe R$  1.000,00 na conta, somente poderá contar com R$ 800,00 para uso até o próximo crédito (desconsiderando os juros).

2) A cobrança de juros ocorre de forma integral uma vez por mês e esse dia pode ser um mau dia, fazendo com que você utilize ainda mais esse limite, ultrapasse ele (ficando inadimplente junto ao banco) ou tenha algum compromisso ou cheque não sendo pago por falta de fundos.

3) A utilização prolongada do cheque especial, prejudica sua imagem e, consequentemente, seu crédito junto ao banco. Isso pode tornar mais difícil a contratação de uma linha de crédito para fazer o parcelamento dele.

DICA DO CONSULTOR

Planeje suas entradas e saídas de dinheiro e organize-se para que sobre algum valor todo mês. Essa atitude terá dois benefícios: Permitirá a constituição de uma reserva para utilização futura e permitirá que, no caso de imprevistos, você não precise recorrer ao cheque especial.

Até a próxima!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *