Cadastro positivo

post_cadastro_positivo_2019-03Quando você busca crédito junto ao uma instituição financeira, seu cadastro é analisado considerando-se, principalmente, três aspectos: Informações prestadas (renda, etc); Histórico (ou falta dele) junto àquela instituição e seu histórico de atrasos no Sistema Financeiro (principalmente os que resultaram em restrições cadastrais). A partir de julho desse ano, isso vai mudar, com a implementação do Cadastro Positivo, uma iniciativa do Banco Central, dentro da Agenda BC+, para a melhor oferta de crédito dentro do sistema financeiro.

Mas como isso vai funcionar?

Primeiramente, é importante citar que o próprio Bacen divulgou um Estudo onde verificou que o principal componente do spread bancário (diferença entre a taxa de juros paga aos investidores e a cobrada dos tomadores) é a inadimplência. Vale lembrar que, conforme tratado na postagem feita sobre esse assunto (link acima), entre os componentes do spread está a projeção de inadimplência futura.

Voltando ao cadastro positivo, ele permitirá que cada pessoa tenha uma nota de crédito calculada com base na pontualidade de seus pagamentos. Assim, será possível que o banco ou outra instituição saiba que você é um bom pagador. Atualmente, ele somente é informado quando você possui alguma operação de crédito atrasada, mas não sabe de sua pontualidade. O cadastro positivo será também mais abrangente, não estando limitado a suas operações de crédito. Se você realiza o pagamento de suas contas de consumo (água, luz, telefone, etc) pontualmente, isso refletirá na sua nota de crédito. Logo, uma pessoa que nunca recorreu a empréstimos, poderá ter uma boa nota e, consequentemente, um menor risco de crédito e melhores condições para tomar dinheiro emprestado.

Mas esse é apenas o primeiro ganho. As instituições financeiras são conservadoras na definição de suas taxas de juros em razão da PCLD, que é um custo vinculado à inadimplência. Se os bancos podem projetar, mais facilmente, uma possível inadimplência, vão exigir menor valor (prêmio) associado a esse risco de calote.  O segundo ganho está associada a essa redução do spread de uma forma geral, pois os bancos terão mais informações na hora de saber quem tem maior e menor risco de inadimplência.

Vale ressaltar que, atualmente, o cadastro positivo já existe, porém está limitado apenas a quem aderiu a ele. A partir da nova regra, todos os brasileiros estarão, automaticamente, inscritos nessa base de dados. Apenas será excluído quem solicitar. Outra ressalva importante é a de que o sigilo bancário não será quebrado. Os bancos terão acesso a essa nota de crédito gerada, e não a cada transação que deu origem a ela.

Essa é uma boa medida e que deverá trazer vantagens a todos com a redução dos juros cobrados pelos bancos.

Até a próxima!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *