Alavancagem e as crises financeiras

alavancagem-financeira-600x400Considere que você tem dinheiro aplicado e a necessidade de um pagamento urgente. O que você faz? Geralmente, resgata a aplicação, certo?

Você sabia que essa situação é o motivo de uma crise na Turquia, por exemplo, afetar o Brasil? Isso ocorre porque é o mesmo raciocínio dos grandes investidores e fundos de investimento distribuídos no mundo inteiro, que investem em diversos países aos mesmo tempo. Além do que tratamos na postagem referente ao impacto da crise turca na nossa economia, existe um conceito muito importante e pertinente para esses casos: a alavancagem financeira.

Alavancagem financeira nada mais é do que investir arriscando mais dinheiro do que você tem disponível. Também é uma forma de tomar crédito. Diversas opções de investimento trabalham com alavancagem. Abaixo, dois dos principais:

1) Opções: Contratos onde uma pessoa (tomador) paga a outra (lançador) um valor pelo direito de comprar ou vender um ativo, geralmente uma ação. A alavancagem, nesse investimento, ocorre no caso do lançador, que terá a obrigação de comprar ou vender o ativo  pelo preço combinado, mesmo que represente um prejuízo a ele;

2) Mercado de Futuros: Nesse tipo de contrato, você pode comprar ou vender determinado ativo (moeda, índice de mercado, mercadorias, etc) porém com a “entrega” em uma data futura. O detalhe é que o investidor vai depositar somente uma parte do valor do contrato, estando sujeito aos ajustes diários, favoráveis ou não. Se a variação for favorável, o investidor recebe o lucro. Se for desfavorável, deve depositar o valor de sua perda. Esse processo também é conhecido como “chamada de margem”. Como é um contrato financeiro,  no momento da “entrega”, ocorrerá a liquidação do contrato.

Voltando ao nosso exemplo inicial, para cobrir as perdas dos investimentos alavancados, são resgatados outros investimentos, mesmo que rentáveis e seguros. No caso da Turquia, que usamos de exemplo, títulos de dívida e ações de outros países, incluindo o Brasil foram vendidos para cobrir os prejuízos de lá. Esse movimento gera uma desvalorização dos papéis brasileiros,  afetando todos os investidores daqui, mesmo que nada tivesse mudado na nossa economia.

Por isso o fator cíclico da crise. O otimismo faz com que os investidores arrisquem mais e se alavanquem. Em determinado momento, esse otimismo diminui e “a conta vem”.

É importante entender que, em casos como esse, eventualmente o dinheiro retorna para nossa economia, comos preços “voltando ao normal”. Só perde, efetivamente, dinheiro, quem resgata antes, geralmente por medo.

Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *