O problema do arredondamento

Em um dia desses, vi um cartaz que me chamou a atenção. Era do McDonald´s (nenhum patrocínio envolvido) anunciando o "barato do dia", que tinha mudado o preço, de R$ 8,00 para R$ 8,50. Fiz uma conta rápida e, considerando-se uma inflação de 2,97% medida pelo IPCA em 2017, esse aumento (6,25%) pareceu desproporcional. Em Porto Alegre (e acredito que no restante do País também), anualmente, no reajuste da passagem de ônibus, o valor, após aplicação da correção determinada, é arredondado para ci...
Leia mais ›

Novas condições para o cheque especial

Quando falamos em crédito caro, o chamado crédito rotativo é, sem dúvidas, o campeão. Ele é composto pelo cheque especial e pela parte do cartão de crédito não paga no vencimento. Recentemente, foram adotadas medidas para redução dos custos do rotativo dos cartões de crédito, a partir de Resolução divulgada pelo Banco Central. Agora foi a vez do Cheque Especial, porém através de uma iniciativa dos próprios bancos, via FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos), que divulgou o Normativo SARB 01...
Leia mais ›

Menos compulsório, mais crédito (?)

Nossa economia ainda não apresentou os sinais de crescimento que todos esperam e a inflação segue baixa. Conforme já tratamos aqui, isso não é necessariamente uma boa notícia. De forma a buscar aquecer a economia, o Banco Central vem reduzindo os juros básicos da economia a cada reunião, com previsão de mais uma redução, para o patamar de 6,25% a.a. Ao entender que o crédito é o motor para o crescimento da economia, e considerando que os juros já estão muito baixos, principalmente ao consi...
Leia mais ›